• 7 aspetos que não pode esquecer ao analisar a compra de casa

    Publicado por Carolina Amaral1 ano
    7 aspetos que não pode esquecer ao analisar a compra de casa

    O primeiro aspecto a ter em conta é se precisa efectivamente de comprar uma casa. A decisão da compra de uma casa tem de ser muito bem analisada. Assim, antes de avançar para a compra deve ponderar alternativas sendo que a principal passa pelo aluguer. Na conjuntura actual, cada vez mais pessoas têm vindo a optar por alugar os seus imóveis, aumentando a oferta existente no mercado. 

    Agora que já ponderou todas as hipóteses e comprar um imóvel continua a ser a sua primeira escolha, não esqueça que irá  fazer um grande investimento e, como em qualquer investimento, não deve entrar para perder dinheiro. Em primeiro lugar, há que definir se o imóvel que procura representará uma casa para a vida, ou apenas para alguns anos. Se a sua ideia é uma casa para viver até 5 anos, deve pensar nisso como um investimento a 5 anos e não um investimento para a vida. No final desses 5 anos irá gostar de voltar a ver o seu dinheiro. Nós ajudamos!

    casal comprar casa

    1. Localização

    “Location, location, location” é o lema do mercado imobiliário norte-americano que significa que a localização é extremamente importante ao comprar casa. Genericamente, pode definir-se como uma boa localização, uma zona tranquila, segura, com óptimos acessos, transportes públicos, escolas, hospitais, etc. É preciso compreender que este tipo de local nem sempre é fácil de encontrar e, simultaneamente, ser compatível com o dinheiro que tem disponível. Por isso defina o que realmente importa para si. Se tem filhos, talvez deva procurar estar próximo da família ou de amigos. Se jamais utiliza transportes públicos, ficar em frente a uma estação de metro não será o factor mais importante. Acima de tudo, tente descartar características que valorizam o imóvel mas que não trazem nenhuma mais-valia para si.

    2. Possibilidade de valorização da casa e da zona

    Principalmente se está entre os que compra um casa apenas para alguns anos, há que ter em conta aspectos que podem valorizar a zona no futuro:
    Acessibilidades e transportes públicos: Está previsto algum novo acesso a auto-estrada ou via rápida? Está prevista uma ligação a uma nova rede de transportes públicos?
    Qualidade de vida: Existe algum bairro social em volta ou existe a possibilidade de ser construído em breve?
    Está em marcha algum plano de requalificação da zona (muito importante em zonas históricas)?

    3. Os requisitos para a sua casa

    É sabido que quanto maior for um casa, mais caro será (isto é válido para casas em perfeita igualdade de circunstâncias), pelo que optimizar a casa às suas necessidades pode constituir uma forma de economia. Mais uma vez, se pretende comprar uma casa para os próximos 5 anos e só pretende ter filhos daqui a 7, precisa realmente de um T3?
    Se nunca tem tempo para ir à praia ou sequer passear, é vantajoso comprar um apartamento em frente à praia que irá custar consideravelmente mais do que um igual mais recatado? Se jamais utiliza a varanda do seu velho apartamento, porquê querer uma varanda no novo apartamento? Se não tem dois carros, porquê um lugar de garagem para dois carros? Já percebeu a lógica, não já?

    4. Gastos futuros

    Ao comprar uma casa, é necessário analisar quais os gastos futuros dado que comprar a casa é simplesmente o primeiro passo; depois é necessário sustentá-la. Em seguida, estão vários factores a ter em conta:

    • Uma casa com uma área significativa pagará mais IMI. Adicionalmente, dado que grande parte dos condomínios se regem por uma regra de permilagem, pagará igualmente mais condomínio;
    • Analise os custos energéticos e de manutenção dos equipamentos que vêm com esta: caldeiras, aquecimento central, electrodomésticos embutidos, tipo de iluminação, etc. Analise também outros factores tais como a exposição solar - um imóvel orientado a Sul ou Oeste, à partida, terá menos gastos de energia para aquecimento do que um imóvel orientado a Norte; adicionalmente, terá em teoria mais horas de sol causando menos gastos de energia para iluminação;
    • Custos de condomínio - Se o seu prédio tiver vários elevadores, jardins, garagem e outras infra-estruturas, o condomínio será também algo com que terá de se preocupar;
    • Componente variável do empréstimo - Dado que os empréstimos bancários são geralmente indexados à Euribor, qualquer alteração desta taxa terá impacto para si. Esta alteração pode ter um impacto positivo (se esta taxa descer) ou negativo (se a taxa subir);
    • Imóveis demasiado grandes poderão obrigá-lo a contratar uma empregada quando chegar à altura das limpezas.

    Quando pensar na taxa de esforço para comprar uma casa, não pense exclusivamente na prestação que vai pagar ao banco, mas também nos gastos mensais com água, electricidade, gás e condomínio. Só assim terá uma real noção se o seu orçamento chegará ao fim do mês.

    5. Casa nova ou casa usada 

    Tradicionalmente, gostamos de estrear coisas. Acontece com as casas, com os carros, com a roupa... Actualmente, a oferta imobiliária é tão vasta no que respeita a casas novas, como tentadora no que respeita às usadas.

    Por vezes, as casas em segunda mão podem ser uma excelente oportunidade. Em muitos casos pequenos pormenores desvalorizam significativamente a casa e são fáceis de alterar. Por exemplo, uma parede de uma cor menos consensual ou algumas manchas superficiais no tecto são coisas fáceis de alterar mas que afugentarão muitos possíveis compradores, o que poderá baixar o valor comercial desta.

    6. A escolha (ou não) de uma imobiliária

    Geralmente considera-se importante recorrer a uma imobiliária. Isto porque simplifica o processo de procura, uma vez que as imobiliárias possuem uma base de dados alargada e porque passa a existir um intermediário que irá tratar de toda a parte burocrática da compra. No entanto, deve considerar que ao procurar um imóvel por si mesmo, tratando directamente com o proprietário, poderá conseguir uma poupança na ordem de 5% a 10% - isto é, numa compra que seria de 100 mil euros através de uma imobiliária, passaria a pagar apenas 90 a 95 mil euros. As comissões de venda variam de imobiliária para imobiliária mas no final do dia é sempre algum dinheiro poupado.

    7. A escolha do banco e negociação do empréstimo

    É habitual recorrer a um empréstimo para a compra de casa, mas como escolher o melhor banco? A DECO disponibiliza um simulador de Crédito à Habitação, que é muito útil nessa decisão. No entanto, não deixe de consultar em primeiro lugar o seu banco - faça valer o seu estatuto de cliente! Além disso, não deixe de considerar os imóveis dos bancos. Neste tipo de transação, os preços dos imóveis costumam estar abaixo do valor de mercado e os bancos ainda oferecem spreads muito aliciantes e comparticipação a 100%.

    Na negociação com o banco, vão calcular-lhe a sua taxa de esforço para pagamento da prestação e, no caso de esta ser alta, poderá ter más notícias. Nessa altura, se tiver pais ricos, deverá puxar dessa carta colocando-os como fiadores, de modo a conseguir melhores condições.
    Quando negociar com o seu banco, não esqueça o período de actualização do seu empréstimo em relação à taxa Euribor (3, 6 ou 12 meses), o qual pode dar-lhe mais ou menos tempo para se preparar para uma eventual subida imprevista desta taxa.

    comprar casa

    É tão simples encontrar a casa dos seus sonhos! Para isso terá que aceder ao Zizabi e procurar pela casa perfeita para si de acordo com as suas necessidades! Com os nossos rankings vai conseguir escolher um local que reúna tudo aquilo que precisa, nomeadamente zonas com transportes, escolas, serviços e muitos outros indicadores que irão com certeza ajudá-lo a encontrar a casa que sempre quis ter. 

Podemos ajudar?